Questão: O que fazer após uma Constelacao familiar?

O que fazer depois de uma constelação familiar?

Silenciar, acalmar a mente e confiar: este é um bom caminho para trilhar após uma Constelação Familiar.

O que fazer depois de constelar?

É normal depois de constelar, querermos racionalizar e questionar o que foi visto, e isso enfraquece o seu campo, principalmente se você tentar explicar isso para alguém que não entende, não sentiu e não viu, e com certeza vai fazer sua interpretação e mais, vai dar opinião sobre aquilo que ela não sabe.

O que a constelação familiar pode ajudar?

A constelação familiar é um tipo de terapia psicológica que tem como objetivo facilitar a cura de transtornos mentais, especialmente aqueles que podem estar sendo estimulados pela dinâmica e as relações familiares, através da identificação de fatores de estresse e seu tratamento.

O que falar na constelação familiar?

Um indicativo de um bom tema para olhar através da Constelação Familiar é olhar para os acontecimentos da vida que parecem ter um padrão que se repete, tanto na própria biografia da pessoa, como no sistema familiar – desde pessoas que vivem na mesma geração do cliente como em gerações anteriores.

O que a constelação familiar resolve?

O que é Constelação Familiar? A Constelação Familiar é uma terapia integrativa criada pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger após anos de pesquisas feitas com famílias, empresas e organizações. A técnica estuda e busca dissolver os padrões comportamentais que, de alguma maneira, impedem o nosso desenvolvimento.

ES INTERESANTE:  Será que estrelas tem pontas?

Quais os perigos da constelação familiar?

O único “perigo” da constelação familiar é ajudar a abrir caminho para que o amor circule em nosso grupo. Sendo ele um sentimento supremo, é capaz de reordenar nossa confusão interna e permitir que a dor se dilua.

Quanto tempo dura uma constelação familiar?

A duração de uma constelação familiar é imprevisível, pois depende do sistema sendo trabalhado, do tema, dos representantes e do constelador. Pode durar de 5 minutos à 1 ou mais horas. O tempo de duração de uma constelação também não possui nenhuma relação com o efeito que ela terá no cliente e nos representantes.

O que pode constelar?

Exemplos: doenças, sintomas, relacionamento amoroso, relacionamento com você mesmo, relacionamentos com filhos, dificuldades com pai, mãe ou irmãos, famílias mosaico (muito importante organizar o lugar de cada um), situações financeiras difíceis, dinheiro, prosperidade, trabalho/profissão, escolha de profissão, perdas, …

O que fazer antes de constelar?

Escolha um assunto que seja emocionalmente importante e tenha claro o seu motivo para constelar um tema. Você vai passar a ver seu assunto/problema em outra perspectiva e pode, em geral, experimentar uma sensível tranquilidade em relação a antes da sua constelação.

O que é Constelação para que serve?

A constelação revela o necessário que se esclarece para quem está constelando e o benefício das pessoas que estão assistindo como participantes é que percebem nos movimentos e nas palavras de conciliação algo que pode ajudar a elas também nos seus próprios assuntos; assim todos são constelados.

Quais os benefícios da constelação?

Quando alguém monta sua constelação, transmite aos representantes uma imagem espacial e energética do campo relacional existente entre os membros da família, permitindo-lhes canalizar esses sentimentos e impulsos. Tais sensações corporais podem ser exploradas pelo terapeuta.

ES INTERESANTE:  Quando o foguete chega na estação espacial?

Para que serve a constelação familiar com bonecos?

O mais incrível que se pode observar no uso de bonecos para Constelação Familiar, é que eles podem ser usados para trabalhar quaisquer tipos de dificuldades: amorosa, profissional, jurídica, familiar e até mesmo traumas que precisam ser olhados com mais profundidade e amor.

Como aplicar a constelação familiar?

Ordens da Ajuda

  1. Dar apenas o que se tem e pegar para si, somente o que se necessita;
  2. Submeter-se às circunstâncias e reconhecer a realidade e suas limitações;
  3. Colocar-se diante do cliente como um outro adulto;
  4. Requer a empatia do ajudante focada mais no sistema como um todo do que exclusivamente no cliente;

29.06.2020

Blog espacial