Aniversário de 25 anos do Planetário de Vitória

25 anos do Planetário de Vitória

 

Eu falo mesmo que nós somos feitos das estrelas, o ar que a gente respira, os nossos componentes químicos do universo inteiro nasceram de dentro das estrelas. […] Então é assim muito inspirador a gente lembrar disso, porque a gente na nossa vidinha do dia a dia a gente esquece também que a gente faz parte de um universo que é muito maior do que esse da nossa vidinha do dia a dia (MELLO, 2017).

Ao comemorar seus 25 anos de existência, o Planetário de Vitória compartilha com todos alguns dos seus momentos mais importantes. Lembrar do passado é sempre uma nostalgia, nos insere em uma realidade da qual não fazemos mais parte, pois já se foi. 

Assim, em meio a pandemia que alterou nosso cotidiano, planejamentos e rotinas familiares e nos fez repensar a vida, nosso lugar no mundo, nossa importância na vida daqueles que amamos, nos levando a repensar nossa forma de viver rememorar os 25 anos com você que de forma direta ou indireta contribuiu para o Planetário ser hoje esse espaço de divulgação e propagação de conhecimento e lazer será um enorme prazer.

Desta forma, fazemos o convite para que venha conhecer um pouco da história Planetário, espaço de emoções e vivências inesquecíveis…

O Planetário de Vitória nasceu da curiosidade de se conhecer aquilo que está longe, e que não é possível tocar, e muito menos chegar perto. Antigamente, os cometas eram vistos como “[…] presságio da peste, dos terremotos ou da guerra […]” (DARÍO; NÁJERA; LUGONES, 2015). No entanto, para a cidade de Vitória/ES, no final do ano de 1985 e início de 1986, o cometa Halley foi um presságio de algo maravilhoso que viria a acontecer alguns anos depois na cidade. 

Durante uma década, o Planetário de Vitória foi pensado por diversas pessoas, que conseguiram materializá-lo no dia 23 de junho de 1995. A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e a Associação Astronômica Galileu Galilei (AAGG), junto à Prefeitura Municipal de Vitória (PMV) e o Governo do Estado do Espírito Santo firmaram a parceria necessária para a construção, fundação e funcionamento do espaço. 

Com o intuito de potencializar a magia existente na observação do Universo e na popularização do conhecimento da Astronomia, até janeiro de 2019 foi utilizado no Planetário de Vitória o projetor alemão Zeiss ZKP-2P como  a principal “estrela” do espaço, fazendo projeção das sessões de planetário, para públicos de faixas etárias variadas voltadas para as aulas campo ou lazer. 

A partir de 2019, dada à evolução tecnológica essa “estrela” cedeu lugar à outra. Tem-se a conquista do projetor tipo Fulldome, que proporciona ao espectadores a sensação de vivenciar os acontecimentos do Universo de forma encantadora! Um mergulho à alta tecnologia e efeitos até então não vistos.

Nas muitas viagens planetárias em forma de sessões de planetário este espaço atende ao público em geral, Educação Básica (pública e privada), Ensino Superior (público e privado), instituições religiosas, entidades filantrópicas, asilos, organizações não governamentais, centros de referência, assistência ao menor, entre outros. Muitos são os encantamentos proporcionados nessa viagem planetária que ocorre a partir do acolhimento por meio de músicas como Aquarela (Toquinho); o fazer sorrir e admirar das crianças pelo acompanhar o nascer e pôr do sol; passando por adolescentes às vezes exigentes que se permitem questionar a formação dos Buracos Negros até jovens e adultos que em muitos casos se afastaram dos bancos escolares, mas mantém viva a chama do fascínio pela Astronomia e asseguram esse encantamento aos familiares. 

É uma viagem ao Universo, sem sair do Planeta Terra, passeio pela via Láctea, conhecimento do Sistema Solar e seus planetas! Durante as sessões de planetário e término, muitas são as indagações e comentários. Os anéis de Saturno encanta e atrai olhar; a grande mancha vermelha de Júpiter provoca admiração; as altas velocidades de Netuno é novidade; o chão vermelho-alaranjado de Marte indaga e aguça a curiosidade da possibilidade de vida no planeta; e a imaginação do frio nas crateras geladas de Mercúrio espalha a admiração ao saber que mesmo sendo o primeiro planeta do Sistema Solar, não é o mais quente e sim Vênus. Por sua vez, Vênus e Urano faz pensar que podemos ser diferentes, e ao nascer é possível realizar movimento rotacional em sentido diferente como “de cabeça para baixo” ou “deitado” não perdendo a essência do humano. O que provoca questionamento do que temos em comum, o que diferencia e o que nos torna únicos nesse universo.

Este espaço que completa 25 anos, trilhado por momentos inesquecíveis na vida de inúmeras pessoas é visitado por capixabas, pessoas de outros estados, e de outros países! Com certeza, a vontade conhecer o que há de instigante para além do Planeta Terra ultrapassa fronteiras! 

Além da cúpula, os visitantes do planetário, vivenciam por meio da lente de um telescópio cujo o espelho é de 150mm permite contemplar as belezas existentes no céu. É comum ouvir relatos como: “Ah, a Lua é linda! Sou tão apaixonada(o) por ela!”. Outras vezes, expressões curiosas e ansiosas ao ver a Nebulosa de Órion como dizer: “É só isso que dá pra ver? Não dá pra ver mais de perto”. Em outros momentos Júpiter encanta que chega-se ouvir o relato de uma criança para o pai que diz: “Não te falei que ele existe?”. Isso sem falar, na magia dos anéis de Saturno, que provoca brilho no olhar dos visitantes.

Ver o encantamento desses visitantes e ouvir seus relatos, provoca em cada profissional que responde por esse local de encantamentos e magias agradecimentos, risos, emoções e surpresa, o que provoca e lança sempre a um desafio tendo a certeza de que a Astronomia que encantou a humanidade, será sempre encantadora e desafiadora independente da era. Não esquecendo que é necessário muito mais que uma lente para compreender a beleza do “só isso”! Comemorar os 25 anos do Planetário de Vitória com a missão de divulgar e propagar conhecimento científico, lazer e muita diversão torna-se motivo de aplausos. São 25 anos de sentimentos, vidas que fizeram e fazem parte desse ambiente! Vidas que são como nebulosas para assegurar luz e significados aos que escolhem passar algumas horas no encantamento da observação do Universo.

No mês de junho, que marca o início do inverno, temos a certeza de que queremos comemorar muito e  mais anos, com mais pessoas, mais parceiros assegurando a esse espaço com localização estratégica dentro de um Campus Universitário local em excelência da produção do conhecimento científico, tem-se a magia, a paz, a visão do Universo vista em suas múltiplas lentes compartilhando o que há de conhecido e desconhecido da Astronomia, que não para de expandir, assim como o ser humano! 

Deixe comentário

*

captcha *